fbpx
Eco-ansiedade: você a conhece?

Eco-ansiedade: você a conhece?

As mudanças climáticas têm se tornado um assunto muito debatido em todo mundo. Mas, ainda assim, as medidas necessárias a serem tomadas parecem distantes de se concretizarem.

As consequ√™ncias relacionadas ao aquecimento global j√° podem ser notadas em todos os continentes e diz respeito principalmente √†s crises h√≠dricas, polui√ß√£o do ar, queimadas em excesso, eleva√ß√£o do n√≠vel dos oceanos e extin√ß√£o de diversas esp√©cies animais. 

Tudo isso √© muito prejudicial √† vida humana, podendo ocasionar em novas doen√ßas e potencializar algumas outras, como as respirat√≥rias, por exemplo. E recentemente, diversos casos de transtornos de ansiedade e estresse relacionados √†s mudan√ßas clim√°ticas come√ßaram a surgir em pa√≠ses orientais e ocidentais, fato que levou ao surgimento da  Eco-ansiedade. Voc√™ j√° ouviu falar dela? 

Como acontece e seus sintomas              

Em 2017, a Associa√ß√£o Americana da Psicologia publicou um artigo que alertava sobre os impactos da crise clim√°tica na sa√ļde mental e, para nome√°-lo, usou o termo eco-anxiety, que era definido como ‚Äúuma desordem psicol√≥gica recente que afeta um n√ļmero crescente de indiv√≠duos preocupados com a crise ambiental‚ÄĚ. 

Esse foi o ponto de partida para que profissionais de todo o mundo passassem a se preocupar com essa nova percep√ß√£o, indo al√©m dos traumas provocados por enchentes, queimadas e outras rea√ß√Ķes ambientais provocadas pelo aquecimento global.   

Os sintomas podem ser identificados com certa facilidade e, geralmente, atingem o p√ļblico mais jovem. Entre eles, est√£o o medo e pensamentos obsessivos; ataques de p√Ęnico, ins√īnia, estresse e falta de apetite, todos associados a quest√Ķes ambientais.      

E por ser tratar de uma disfun√ß√£o mais nova, ainda n√£o existem estat√≠sticas concretas sobre ela, mas, recentemente, a Associa√ß√£o Psicanal√≠tica Internacional alertou que essa pode ser uma das maiores amea√ßas √† sa√ļde deste s√©culo.

Como evit√°-la?

Esse problema j√° √© evidente e mostra a import√Ęncia de termos ainda mais aten√ß√£o com a nossa sa√ļde mental. √Č fundamental fazermos um acompanhamento psicol√≥gico cont√≠nuo para termos desenvolvimento emocional e estarmos em sintonia com n√≥s mesmos. Essa √© uma das principais quest√Ķes e podem evitar muitas disfun√ß√Ķes, assim como algumas mudan√ßas de h√°bitos em nossa rotina.

Claro, a preocupa√ß√£o ambiental √© muito necess√°ria e relevante, entretanto, √© importante mantermos certo equil√≠brio sobre nossas a√ß√Ķes e pensamentos:

Para isso, tente criar per√≠odos de ‚Äúdesconex√£o‚ÄĚ com not√≠cias e preocupa√ß√Ķes ligadas √† forte globaliza√ß√£o industrial e seus impactos. Pode parecer pouco, mas isso j√° proporciona, neste sentido, uma boa pausa ao seu c√©rebro. Exerc√≠cios de mindfulness e medita√ß√£o s√£o, tamb√©m, uma √≥tima op√ß√£o. N√£o deixe de fazer sua parte pr√°tica nesse processo ecol√≥gico: desde a separa√ß√£o do lixo produzido at√© a utiliza√ß√£o de meios de transporte menos poluentes. E, claro, d√™ valor ao seus feitos! 

Ter com quem compartilhar essa causa tamb√©m pode ajudar. A troca de debates, questionamento e solu√ß√Ķes auxiliam no fluxo de pensamentos e podem causar mais organiza√ß√£o e equil√≠brio mental. E claro, a pr√≥pria terapia, afinal, a eco-ansiedade pode muitas vezes estar associadas a quest√Ķes de ansiedade gerais que merecem uma aten√ß√£o profissional.

Independentemente da quest√£o envolvida, √© sempre interessante estar disposto a nos entender melhor e procurar apoio para isso. Afinal, a busca pela melhoria ambiental est√° ligada diretamente com mais bem-estar e sa√ļde, assim como o acompanhamento psicol√≥gico.

Fique por dentro do nosso blog e tenha sempre acesso a conte√ļdos in√©ditos e toda as atualiza√ß√Ķes sobre a sa√ļde mental e a atua√ß√£o do psic√≥logo. O que voc√™ achou da eco-ansiedade? Podemos trabalhar para evit√°-la junto √†s a√ß√Ķes de prote√ß√£o √† natureza?