fbpx
Sa√ļde mental da mulher: precisamos sim falar a respeito

Sa√ļde mental da mulher: precisamos sim falar a respeito

A luta da mulher vai muito além daquilo que podemos ver nos dias atuais! Cada ato feminino é repleto de resistência e batalhas para, por si só, existir. Desde os séculos passados, as mulheres lutam para conquistar os seus direitos mais básicos, mas foi só lá no começo dos anos de 1900 que a voz feminina passou a ter um pouco mais do seu devido respeito e espaço.

Diversos movimentos femininos sa√≠ram √†s ruas no fim do s√©culo XIX para trazerem √† tona milhares de debates que at√© hoje, j√° no s√©culo XXI, seguem como pautas sociais. E, claro, entre milhares de quest√Ķes que v√™m surgindo com o passar dos anos, surgiu tamb√©m o debate sobre a sa√ļde mental das mulheres.        

Visto com certo preconceito nos s√©culos passados, a preocupa√ß√£o com o bem-estar psicol√≥gico √© fundamental para quem fomos, somos e seremos, e quando se d√° a devida aten√ß√£o a ele, muitos benef√≠cios podem surgir. 

Por isso, hoje, al√©m de todo esse contexto e embasamento hist√≥rico de luta citado, falaremos tamb√©m sobre a sa√ļde mental das mulheres

A sociedade e seus impactos no bem-estar feminino 

Como dito pela psicóloga Cordélia Castelo, no 2Aas11, episódio 21, que foi ao ar no Dia Internacional da Mulher, quando se nasce mulher, as coisas podem ser mais complicadas ainda. Conquistas mínimas são repletas de esforços máximos. E, claro, tudo isso causa impacto direto na construção do bem-estar mental feminino.       

Afinal, h√° muito tempo na humanidade a sociedade tenta impor o que √© ou n√£o melhor para mulheres, isso, sem ao menos querer saber se elaSa√ļde mental da mulher: precisamos sim falar a respeitos est√£o de acordo com esse poss√≠vel ‚Äúmelhor‚ÄĚ. Essa constru√ß√£o social traz in√ļmeros malef√≠cios at√© hoje no aspecto social, pol√≠tico, humanit√°rio e psicol√≥gico.

M√£e, irm√£, filha, dona de casa, trabalhadora e muito mais! Foi incumbido √†s mulheres dezenas de tarefas, at√© mesmo, de forma arbitr√°ria, al√©m disso, milhares de outras quest√Ķes ligadas √† desigualdade de g√™nero e viol√™ncia f√≠sica e mental afetam de forma negativa para o bem-estar feminino.

E mesmo com tantos anos de lutas e conquistas, esse cenário ruim continua carregando a vida de mulheres ao redor do mundo. 

O espa√ßo da mulher no cuidado com a sa√ļde    

Mesmo com todos esses empecilhos impostos, aliado √† falta de tempo para si mesma, as mulheres s√£o as que mais cuidam da pr√≥pria sa√ļde, isso, em rela√ß√£o aos homens. O mesmo vale para o cuidado com o bem-estar psicol√≥gico.

Mas isso n√£o tira o tamanho da import√Ęncia de se manter cuidados espec√≠ficos voltados para a sa√ļde mental feminina. Existem a√ß√Ķes mais b√°sicas do dia a dia que podem proporcionar mais qualidade de vida e bem-estar √†s mulheres.

Fatores ben√©ficos para a sa√ļde mental feminina 

Além do acompanhamento psicológico com profissionais, existem alguns outros fatores que podem contribuir para essa melhoria, confira:

  • Realiza√ß√£o de atividades f√≠sicas;
  • Alimenta√ß√£o equilibrada e saud√°vel;
  • Manuten√ß√£o da qualidade do sono;
  • Prioriza√ß√£o √†s rela√ß√Ķes interpessoais positivas e leves;  
  • Pensamentos positivos;
  • Potencializa√ß√£o da autoestima;
  • Busca por mais per√≠odos destinados apenas ao lazer e descanso;
  • Ir de encontro √† pr√≥pria realiza√ß√£o pessoal e profissional.

Esses s√£o exemplos que valem para todas, mas pra cada mulher existem condi√ß√Ķes, fatores e a√ß√Ķes que podem ser ben√©ficos de forma espec√≠fica. E o mais importante aqui, de maneira geral, √© lembrar que voc√™s merecem (e muito) se priorizarem e colocarem o seu bem-estar em primeiro lugar na sua vida. 

Apesar de muitas vezes parecer imposs√≠vel, o roteiro da sua vida deve ser escrito por voc√™ mesma, nenhuma outra pessoa vai saber o que √© melhor ou n√£o para o seu presente ou futuro. Cuide-se sempre e conte com a terapia para potencializar sua qualidade de vida! 

E que tal conferir um conte√ļdo muito interessante que foi desenvolvido junto √† psic√≥loga Cord√©lia Castelo Branco Ribeiro da Luz?¬†
A gente bateu um papo muito legal sobre todo esse contexto hist√≥rico das mulheres, inclusive a respeito do surgimento do 8 de mar√ßo. E, l√≥gico, muita coisa sobre a sa√ļde mental feminina; resili√™ncia, autoconhecimento, empoderamento, quest√Ķes de vulnerabilidade e muito mais. Basta clicar aqui para conferir tudo na √≠ntegra!

Dia da Mulher: resistência, respeito e luta

Dia da Mulher: resistência, respeito e luta

Voc√™ conhece a hist√≥ria do 8 de mar√ßo – o Dia da Mulher? Certamente essa data j√° extrapolou os limites sazonais e, nos dia atuais, simboliza toda uma luta, resist√™ncia e conquistas. N√£o √© s√≥ um dia, √© uma hist√≥ria que come√ßou h√° s√©culos, precisamente no ano de 1910, na Dinamarca.    

8 de mar√ßo: quando tudo come√ßou   

Durante a II Conferência Internacional das Mulheres Socialistas, no país dinamarquês, uma resolução foi aprovada para a criação de uma data anual com objetivo de honrar as lutas feminina que se expandiram por todo mundo e, claro, o dia definido foi o oitavo do mês de março.

Mas anos depois, em 1917, foi que esta data ganhou a for√ßa que possui hoje: na R√ļssia, cerca de 90 mil oper√°rias manifestaram-se contra Czar Nicolau II, as m√°s condi√ß√Ķes de trabalho, as jornadas de at√© 15 horas di√°rias por pequenos sal√°rios, a fome e a participa√ß√£o do pa√≠s na Primeira Grande Guerra.

Essa manifesta√ß√£o ficou mundialmente conhecida como “P√£o e Paz” e deu origem ao 8 de mar√ßo das mulheres como conhecemos nos dias atuais e que possui grande import√Ęncia social em todo o mundo.

O Dia da Mulher em 2020 

O Dia Internacional da Mulher √©, ent√£o, a celebra√ß√£o da vit√≥ria e da luta feminina por todo mundo e que come√ßou l√° no s√©culo passado e, ainda assim, desempenha tamanha import√Ęncia para uma sociedade com mais igualdade de g√™nero.¬†

Inclusive no Brasil, onde – em 2020 – as mulheres ainda enfrentam dificuldades para afirmarem seus espa√ßos no mercado de trabalho e em v√°rias outras esferas sociais. Por isso, muito al√©m de um data comemorativa, o 8/3 √© o dia de um grito de luta por igualdade que √© ecoado por todas em todos os dias. 

O papel da sociedade para mais igualdade   

Enquanto terapeuta, nos expomos em grande medida aos traumas de dores de nossos clientes. Nos conectar, ao menos em parte, com essa dor é um caminho essencial para acolher a fim de poder ser esse catalisador de mudança e cura.

Claro que essa conex√£o ainda est√° muito distante da dor real que as pessoas que auxiliamos sentem. Mas, ao mesmo tempo, nos d√£o a oportunidade de conhecer a outra pessoa de uma maneira extremamente profunda.

√Č a partir desse lugar que conhe√ßo um pouco mais do mundo e das dores do feminino. E √© por isso que tenho tanto a admirar as mulheres que, por tantas vezes, vieram me perguntar como conseguiram sobreviver √† tanta neglig√™ncia, invisibilidade e agress√Ķes emocionais, f√≠sicas e, muitas vezes, sexuais.¬†

E mesmo n√£o recebendo ou recebendo t√£o pouco apoio, ainda assim foram capazes de encontrar no amor, cuidado e uni√£o o caminho da sobreviv√™ncia e da volta por cima para ir de encontro o melhor do bem-estar f√≠sico e mental de cada uma.  

Mas fico, ent√£o, me perguntando qual meu papel nisso tudo enquanto homem?

Talvez seja ir além do óbvio; de ser capaz de respeitar e não mais tomar o espaço de ação das mulheres, como vem sendo feito há milênios. Mas talvez, seja um momento oportuno para que o homem olhe para seu próprio feminino, seu Yin, para sua capacidade de amar e cuidar do que foi negligenciada ao longo da história.

Talvez o que de fato o homem possa fazer em favor da luta pelos direitos das mulheres seja reconhecer a força do amor e do cuidado e ajudar a construir um novo..

E, dessa forma, desejamos que o mundo possa chegar à maturidade igualitária e que, assim, todas as mulheres possam receber e ter aquilo que as pertencem no trabalho, em casa, na rua e na vida. Afinal, o seu lugar é o que você quiser. Feliz 8 de março, feliz Dia da Mulher.