fbpx
Como n√£o deixar o medo atrapalhar a nossa vida?

Como n√£o deixar o medo atrapalhar a nossa vida?

√Č um fato: qualquer ser humano possui seus medos, n√£o importa quais sejam, eles fazem parte de nossas vidas. E isso √© natural, os nossos medos nos fazem ser mais conscientes e a criar escolhas mais seguras para nos mantermos est√°veis em v√°rios momentos, inclusive nos mais dif√≠ceis.

Contudo, quando esse medo se torna excessivo, ele ganha novos significados e, em vez de servir como segurança, se torna um peso que nos impede de evoluir e ir além. O segredo, então, está na forma como compreendemos esse sentimento. Descubra aqui como conseguir conviver e lidar melhor com seus medos. 

O que é o medo?

Como disse anteriormente, o medo pode ser atribu√≠do a mais de uma coisa, assim, podendo ter amplas interpreta√ß√Ķes para a pessoa que o sente. Entre tudo isso, podemos entender esse sentimento como sinal de inseguran√ßa ou incerteza em rela√ß√£o a pessoas, uma situa√ß√£o, a√ß√Ķes ou um objeto, por exemplo. Mas tamb√©m podemos olhar para ele de uma forma positiva e entender que a fun√ß√£o do medo √©, muitas vezes, nos conectar com as necessidades de cuidado e prote√ß√£o.

Dessa forma, dizemos que o medo √© pessoal. O que o causa pode ser indiferente para outras pessoas. Eu, por exemplo, posso ter medo de altura, enquanto voc√™ se sente livre e √† vontade para saltar de paraquedas. 

Logo, o medo não está na situação, mas sim na forma como entendemos e interpretamos tudo isso. Pra mim, não saltar de paraquedas, por exemplo, é um ato de segurança. Agora, quando não consigo nem usar o elevador, o meu medo se torna uma fobia que pode impactar diretamente na minha vida.

Quando o medo se torna excessivo 

√Č neste momento que a quest√£o ‚Äúmedo = seguran√ßa‚ÄĚ perde o espa√ßo para a fobia desproporcional em rela√ß√£o ao poss√≠vel perigo que aquilo poderia nos causar. N√£o frequentar os √ļltimos andares de pr√©dios, n√£o usar escadas e evitar o avi√£o s√£o claros exemplos de que muito al√©m de um instinto de seguran√ßa, o sentimento √© excessivo e afeta diretamente a vida.

O segredo para manter essa barreira entre um instinto protetor, que inclusive animais t√™m, e a fobia ou inseguran√ßa que nos congela est√°, tamb√©m, em voc√™, na forma como voc√™ se conhece e entende as situa√ß√Ķes que lhe envolvem.   

√Č tendo mais autoconhecimento para entender o que pode ser ou n√£o um risco real para sua vida e, consequentemente, fazer do medo uma ferramenta de seguran√ßa e n√£o de impedimento.

Lidando com o medo na psicologia

Este poder de se autoconhecer de forma mais clara √© potencializado com o aux√≠lio do acompanhamento psicol√≥gico. Com a ajuda profissional voc√™ pode promover a sua conex√£o com o seu pr√≥prio ‚Äúeu‚ÄĚ e, assim, levar mais seguran√ßa para a maneira como enxerga as situa√ß√Ķes que lhe rodeiam.¬†

Al√©m disso, claro, existem as situa√ß√Ķes onde a fobia em si √© o principal alvo do tratamento, quando a queixa do paciente √© o medo excessivo por situa√ß√Ķes e etc. Nesse casos, al√©m da quest√£o do autoconhecimento, vem tamb√©m outros balizadores, variantes em cada caso, que regem as sess√Ķes de terapia. Afinal, todo sintoma tem sua hist√≥ria e n√£o √© √† toa que ele se formou.

De uma forma ou de outra, o importante √© sempre estar atento aos seus sentimentos, aceit√°-los e process√°-los, assim voc√™ pode se sentir mais seguro at√© quando estiver fora da sua pr√≥pria zona de seguran√ßa. Para tudo isso, claro, conte com a nossa ajuda, voc√™ merece esse cuidado com sua sa√ļde e bem-estar.¬†

Vamos descobrir mais coisas juntos? Clique aqui e saiba mais.