fbpx
Quantas sess√Ķes s√£o necess√°rias na psicoterapia?

Quantas sess√Ķes s√£o necess√°rias na psicoterapia?

Essa deve ser uma das grandes d√ļvidas de quem vai come√ßar ou j√° come√ßou a realizar um acompanhamento psicoterap√™utico. E isso √© muito plaus√≠vel, n√£o √© mesmo?¬† Quem vai come√ßar um novo processo deseja logo no in√≠cio saber at√© quando ir√°, √© natural.

Mas a resposta, como voc√™ j√° deve imaginar, pode variar muito de acordo com cada caso e o procedimento que ser√° adotado. A chave para se acalmar e ficar por dentro da dura√ß√£o do seu tratamento est√° no di√°logo com o profissional.   

D√° pra saber o n√ļmero de sess√Ķes necess√°rias? 

Essa √© uma quest√£o muito dif√≠cil de estabelecer, com previs√Ķes que quase nunca s√£o exatas. Inclusive, no tratamento terap√™utico pode haver ou n√£o um n√ļmero de sess√Ķes preestabelecidas, isso depende da queixa do paciente e do procedimento em si, que pode seguir um padr√£o ou se encaixar dentro de cada realidade.

Ou seja, mesmo que o profissional trabalhe com um processo preestabelecido, para que ele atenda √†s suas necessidades individuais, √© prov√°vel que haja altera√ß√Ķes nessa previs√£o. 

Estabelecer ou n√£o um n√ļmero: o que √© melhor?  

N√£o h√° melhor neste caso, estabelecer a quantidade de sess√Ķes n√£o vai atrapalhar ou potencializar o seu resultado! Essa quest√£o fica por conta do processo terap√™utico a ser usado no tratamento.  

Quando se √© programado o n√ļmero de sess√Ķes, significa que o terapeuta vai seguir um padr√£o j√° existente no atendimento. Na outra ocasi√£o, quando √© deixado em aberto essa quantidade, pode-se entender que o processo ser√° conduzido com uma personaliza√ß√£o voltada ao/√† paciente, √†s hist√≥rias e queixas a serem tratadas. 

Mas √© importante lembrar que, mesmo nos casos em que s√£o estabelecidas as sess√Ķes necess√°rias, podem surgir, no decorrer do tratamento, peculiaridades e outras quest√Ķes que podem prorrogar esse tempo definido.      

Afinal, estamos tratando dos sentimentos, comportamentos, pensamentos e etc. de uma pessoa, ou seja, não é uma questão exatamente precisa e imutável.

O importante √© o resultado    

Mais essencial do que o processo, √© o resultado, √© nele que deve estar o seu foco. Mas, claro, o di√°logo para saber todos os detalhes do seu acompanhamento √© importante tamb√©m. 

Ent√£o, independentemente da complexidade da causa do sintoma em quest√£o, o tratamento ser√° conduzido da forma mais adequada a voc√™, com o foco sempre voltado ao melhor resultado. 


Ficou curiosa(o) para entender como funciona essa quest√£o de se realizar x ou y sess√Ķes e quer conhecer mais a respeito? Ent√£o vem descobrir em mais um epis√≥dio do 2aAS11, o 23¬ļ. Para conferir na √≠ntegra e gratuitamente, basta clicar aqui.

E n√£o se esque√ßa: cuidar da sua sa√ļde psicol√≥gica √© sempre um grande passo na busca da sua melhor qualidade de vida. Todo mundo merece!¬†