Por que a terapia é importante para sua vida?

Por que a terapia é importante para sua vida?

Mesmo nos dias atuais, com a rotina agitada e a informação globalizada, ser adepto à terapia e criar uma rotina de cuidados com a saúde psicológica pode não possuir a devida ênfase e nem a importância necessária pra muita gente.

Mas é fundamental entender que, tão importante quanto cuidar do bem-estar físico, é cuidar da saúde mental. Afinal, só nos sentimos realmente de bem com nós mesmo, quando corpo e mente estão em plena sintonia.

Também é importante ter a consciência de que precisamos e podemos receber ajuda para sermos pessoas melhores para nós e para o mundo em que vivemos. E, caso você ainda não tenha se interessado em praticar sessões terapêuticas, agora, vamos te contar porque elas podem sim representar uma grande melhoria para a sua rotina pessoal e, até, profissional.  

Ganhar uma nova visão sobre o que você vive

Na maioria das experiências que possuímos em nossas vidas, é importante ter uma interpretação ampla do que nos envolve. Afinal, chega a ser comum, todos os dias, acontecimentos que possam nos incomodar, e entendê-los é essencial para que nosso bem-estar não seja abalado.

Mas, nem sempre nós mesmos conseguimos realizar essa interpretação sobre estes acontecimentos, daí surge a necessidade de procurar conselhos entre as pessoas mais próximas da sua convivência. Só que, assim como você, elas também estão envolvidas emocionalmente nos fatos ocorridos, mesmo que de forma indireta, só pelo fato de te conhecer.

Por isso, uma visão “de fora” do seu convívio, com neutralidade e o conhecimento psicológico que só os profissionais da área possuem, representa um novo jeito de interpretar e, até mesmo, conhecer e identificar todos os aspectos daquilo que estamos vivendo. Para que, a partir disso, possamos conseguir levar o melhor das experiências que nos envolvem.

Causas ocultas do que te incomoda

Às vezes passamos por fases difíceis, onde nem sabemos exatamente o que realmente nos incomoda. E, até mais do que isso, passamos não conseguir praticar ações comuns do dia a dia, como dirigir ou viajar de avião, por exemplo. Isso tudo, sem saber o real motivo desta “trava” física.

Na maioria destes casos, são desencontros psicológicos que provocam esses incômodos e empecilhos. Identificá-los e tratá-los é a solução e, para isso, apenas as sessões terapêuticas, baseadas nos seus conceitos profissionais, podem proporcionar. E, assim, gerar a melhoria de problemas que, às vezes, nem conhecemos a causa.

Segurança pessoal, conforto e mais saúde

Ficar de bem consigo mesmo, ter confiança e não ser inibido por fobias, medos ou pânicos representa um avanço muito significativo para a nossa plenitude pessoal e, consequentemente, potencializa a nossa segurança interna. Afinal, dá para conseguir realizar as tarefas desejadas quando se sabe que é possível e que tais empecilhos podem sim ser superados!

Quando se fala em conforto, logo vem à cabeça aquilo que nos é desagradável. Entretanto, somos levados a pensar que precisamos conviver excessivamente com essa sensação, quando, na verdade, podemos evitá-las. A terapia te ajuda a compreender o que te faz bem e o que pode estar lhe causando desconfortos desnecessários. E, com esse entendimento, conseguir viver de uma forma realmente confortável.

Se conectar com o seu próprio eu, ser convicto daquilo que te faz bem e se sentir capaz de enfrentar o que antes parecia insuperável! Tudo isso proporciona melhorias extremamente significativas na sua vida e, ao mesmo tempo, potencializa o seu bem-estar físico e psicológico. É assim que os processos terapêuticos levam mais saúde para sua vida.

Viu? A terapia pode ter um papel bem mais importante do que muita gente imagina, e entender isso pode te proporcionar um novo jeito de entender o mundo ao seu redor. Vamos conhecer um pouco mais? Acesse o link e descubra os procedimentos terapêuticos que ajudam milhares de pessoas a se sentirem melhor todos os dias: www.danielgabarra.com.br.

Tudo que você precisa saber sobre a Terapia Online

Tudo que você precisa saber sobre a Terapia Online

Certamente você já ouviu falar sobre vários processos terapêuticos, independentemente da funcionalidade que eles desempenham. E isso é comum, afinal, ao nosso redor existem milhares de pessoas que fazem terapia semanal, quinzenal ou até mensalmente em busca de resultados bem distintos.

Agora, e sobre a Terapia Online: você já ouviu falar ou conhece quem a pratica? Se não, tudo bem. Nós vamos te contar tudo que você precisa saber sobre este procedimento revolucionário, que se adaptou às necessidades humanas deste século e vem proporcionando melhorias na vida de muita gente.

Online x Presencial: é a mesma coisa?

De fato, a essência prática do procedimento terapêutico é a mesma, seja online ou presencial. Entretanto, isso não significa que eles sejam a mesma coisa. A similaridade pode ser atribuída à base teórica e aos princípios terapêuticos em que os métodos são aplicados.

O andamento do atendimento também é o mesmo. E, caso o cliente em questão já esteja habituado com a comunicação online, o processo se torna mais similar ainda ao presencial. Assim, as duas modalidades possuem assertividades bem similares e os resultados positivos são alcançados em ambos os casos.

O que muda, obviamente, é a interação entre terapeuta e paciente. Além, é claro, da preparação para a sessão: na presencial demandaria maior tempo e deslocamentos. Na online, basta estar conectado à rede de internet e em um ambiente que se encaixe a sua privacidade e conforto.

Como funciona a Terapia Online?   

O procedimento é simples: primeiro, você precisa ter certeza de que está conectado à internet e com o aparelho (celular ou computador) em boas condições de uso. Em seguida, o posicione de forma que proporcione uma visão direta e que não possibilite quedas e outros tipos de interrupções na transmissão. Preferencie, também, a utilização de fones de ouvido. Isso potencializa uma melhor privacidade.

Escolha um ambiente confortável, desde a iluminação à cadeira que será utilizada, tudo isso, compatível com a sua privacidade e segurança. E lembre-se: quando se fala em conforto, é importante que você esteja se sentido à vontade e, essencialmente, de mãos livres. Evitando estar portando qualquer objeto que possa inviabilizar a liberdade dos seus movimentos. Eles podem representar uma parte importante da terapia, principalmente na de processamento.

Água e lenços são importantes no seu ambiente. Afinal, geralmente são trabalhados conteúdos, situações e lembranças desconfortáveis, o que podem ocasionar em lágrimas, suor e outras reações comuns do nosso corpo físico. Todas essas ações são bem simples e não levam mais que 15 minutos para serem realizadas, facilitando – e muito – o processo de preparação para a sessão.

As vantagens da sessão online          

Suponhamos que você more em outro país e não encontre profissionais aptos para o atendimento terapêutico na sua língua natal: a Terapia Online resolve isso! Mesmo em outro país e com milhares de quilômetros de distância, é possível alcançar os resultados desejados com o método não presencial. É importante a sua língua de origem fazer parte do processo, afinal, os traumas ou situações que causaram as disfunções atuais podem ter sido causados enquanto o paciente ainda estava no seu país.

Outro aspecto relacionado à geolocalização pode ser atrelado às regiões mais afastadas dos grandes centros metropolitanos e com pouca oferta profissional. Isso se aplica, geralmente, às pessoas que buscam o atendimento, mas não o encontram em suas respectivas cidades, como as do interior, por exemplo.   

Já para quem vive em grandes cidades, a Terapia Online pode representar uma fuga dos grandes deslocamentos que envolvem trânsito e outros aspectos que causam desconfortos físicos e psicológicos, o que já é um entrave e, às vezes, as causas dos problemas que devem ser tratados. E aí, o que achou deste procedimento? Muito interessante, não é mesmo? Fato é que, a cada dia, mais e mais pessoas buscam as sessões online e, na mesma proporção, os resultados estão cada vez mais assertivos.

Que tal agendar o seu horário? Entre em contato por WhatsApp: (11) 95789-2713 ou ligue: (31) 3588-3364. E, claro, fique ligado por aqui, tem sempre conteúdo novo e bem interessante para você!

Material sobre Brainspotting para Terapeutas

Material sobre Brainspotting para Terapeutas


Livros de Brainspotting:









Materiais de Suporte




Ponteiras Grossas entregues no Brasil por vendedores internacionais:





Vídeos Relevantes:







Artigos e Textos:



Português:


BRAINSPOTTING: UMA NOVA ABORDAGEM PSICOTERÁPICA PARA O TRATAMENTO DO TRAUMA
Cíntia Fuzikawa. Revista Debates em Psiquiatria – Mai/Jun 2015


PARECER Nº 01/2019 EMENTA: BRAINSPOTTING. MÉTODO. PSICOTERAPIA. ORIENTAÇÃO. PSICOLOGIA
Vitor Barros Rego. Conselho Regional de Psicologia do Distrito Federal – CRP 01/DF



Traduzidos para o Português


BRAINSPOTTING: RECRUTANDO O MESENCÉFALO PARA ACESSAR E CURAR MEMÓRIAS SENSÓRIO-MOTORAS DE ATIVAÇÃO TRAUMÁTICA
Frank Corrigan, MD, David Grand, PhD
. Medical Hypotheses (2013)
Traduzido por Patrícia Mattos, revisado por Cíntia Fuzikawa, com autorização dos autores.


UM ESTUDO PRELIMINAR DA EFICÁCIA DO BRAINSPOTTING – UMA NOVA TERAPIA PARA O TRATAMENTO DO TRANSTORNO DE ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO
Anja Hildebrand, David Grand, Mark Stemmler. Journal for Psychotraumatology, Psychotherapy Science and Psychological Medicine



Inglês:


BRAINSPOTTING: SUSTAINED ATTENTION, SPINOTHALAMIC TRACTS, THALAMOCORTICAL PROCESSING, AND THE HEALING OF ADAPTIVE ORIENTATION TRUNCATED BY TRAUMATIC EXPERIENCE.
F.M. Corrigan, D. Grand, R. Raju. Medical Hypotheses (2015)


BRAINSPOTTING – THE EFFICACY OF A NEW THERAPY APPROACH FOR THE TREATMENT OF POSTTRAUMATIC STRESS DISORDER IN COMPARISON TO EYE MOVEMENT DESENSITIZATION AND REPROCESSING
Anja Hildebrand, David Grand, Mark Stemmler. Mediterranean Journal of Clinical Psychology MJCP


PERSISTENT GENITAL AROUSAL DISORDER AS A DISSOCIATIVE TRAUMA RELATED CONDITION TREATED WITH BRAINSPOTTING – A SUCCESSFUL CASE REPORT.
Patrícia FM, José FP, de F and Marcelo M. International Journal of School and Cognitive Psychology


TREATMENT OF PANIC ATTACK WITH VERGENCE THERAPY
Merrill D. Bowan, O.D. Journal of Behavioral Optometry


REPORT OF FINDINGS FROM THE COMMUNITY SURVEY SEPTEMBER 2016
Newtown-Sandy Hook Community Foundation, Inc.





DVDs em Inglês com David Grand:




Você conhece a Programação Neuro Linguística?

Você conhece a Programação Neuro Linguística?

Você já ouviu falar da Programação Neuro Linguística, também conhecida como PNL? É uma metodologia de investigação e mudança do comportamento usada há quase 50 anos e, além muito útil na psicologia, abrange diversas outras áreas. Por isso, é muito utilizada por profissionais que buscam o aperfeiçoamento de performances específicas.

Como começou

Ela foi desenvolvida nos anos 70, na Califórnia, por Richard Bandler, estudante de psicologia e John Grinder, professor de linguística. O primeiro passo da dupla para o desenvolvimento deste método foi o de observar e modelar terapeutas importantes da época. Assim, eles identificavam os padrões que eram utilizados para a assertividade dos tratamentos oferecidos por esses profissionais.

Grinder e Bandler modelaram a linguagem corporal e verbal destes terapeutas, assim, desenvolveram novas técnicas que poderiam ser aplicadas por eles mesmos em seus próprios atendimentos. A partir disso, foi possível observar linguagens, comportamentos e padrões internos relacionados à crenças e ideologias que eram utilizados por essas pessoas e que influenciavam na realização de suas atividades.

O que é na prática?

Agora que você conheceu a história da Programação Neuro Linguística, nós vamos te contar para o que ela serve, na prática. A PNL é uma metodologia de mapeamento do processo mental que viabiliza o nosso entendimento e conhecimento sobre o próprio aspecto interno e, consequentemente, nos permite potencializar ou desenvolver habilidades desejadas que, antes, eram de difícil execução.

É um método que nos auxilia na identificação dos nossos respectivos modelos mentais, onde podemos entender e, em alguns casos, criar um novo significado para nossas próprias estruturas psicológicas.

De um jeito mais claro, é desta forma que conseguimos entender, por exemplo, o motivo de não conseguirmos dar palestras. Desta identificação, é possível criar a solução para mudanças de comportamentos e, a partir disto, potencializar a nossa fala em público. Este é só um exemplo da força deste método, que ainda pode auxiliar a:

  • Criar relacionamentos mais saudáveis e aprender a lidar com eles;
  • Desenvolver mais empatia com as pessoas;
  • Resolver conflitos de forma pacífica e assertiva;
  • Potencializar habilidades, por exemplo, a de liderança;
  • Superar fobias e traumas;
  • Possibilitar a mudança de hábitos e diminuir vícios.

Como ela é usada e qual a sua funcionalidade

Para melhorar qualquer performance do nosso corpo, é essencial conhecer mais sobre nós mesmos. E, quando sabemos mais sobre quem somos, podemos potencializar o que queremos do nosso próprio corpo e comportamento.

Sendo assim, a PNL pode ser utilizada de forma prática. Ela tem relação direta com o nosso âmbito pessoal e profissional, podendo ser utilizada para aprimorar as escolhas e atitudes para que, dessa forma, fiquem de acordo com o comportamento que queremos ter em nossas vidas.

De forma mais clara, com a Programação Neuro Linguística é possível ensinar uma pessoa a gerenciar suas emoções, interpretações e pensamentos, transformando-a em um ser que é líder de si mesmo e de suas próprias atitudes. Assim, a PNL atua no desenvolvimento de soluções que são relacionadas ao alcance de nossas próprias metas, objetivos e performance.

E aí, curtiu conhecer mais sobre este método incrível? Então, continue ligado em nossas redes sociais e no nosso blog. Vamos sempre te contar tudo sobre metodologias como a PNL e tudo mais sobre tratamentos e soluções psicológicas. Combinado?     

Como surgiu e para o que serve o Brainspotting?

Como surgiu e para o que serve o Brainspotting?

Se você é da área da neurociência ou se interessa muito pelo assunto, certamente já deve ter ouvido falar sobre o Brainsppotting, um método contemporâneo da psicologia e psiquiatria, que não para de ganhar adeptos, tanto na área profissional quanto entre pacientes do mundo inteiro.

Se você conhece ou não, ou nem sequer já ouviu falar sobre esta metodologia, prepare-se: separe o bloco de notas e fique à vontade para anotar tudo. Afinal, é quase impossível não se interessar. Vamos lá?

David Grand e sua importância


O Brainspotting foi desenvolvido pelo americano David Grand, um dos terapeutas mais renomados de New York. E foi nessa cidade estadunidense que David descobriu este método: após os atentados às Torres Gêmeas, em 11 de setembro de 2001, diversos sobreviventes, familiares das vítimas e membros das equipes de buscas procuraram apoio psicológico para resolver e amenizar os traumas recorrentes ao ocorrido.

A partir de uma minuciosa observação da movimentação ocular de uma dessas pacientes, David percebeu que determinados pontos de nossas visões podem despertar e até revelar memórias e sensações “escondidas” profundamente em nosso cérebro. Sendo assim, quase que inconscientemente, essas memórias mais profundas podem ser a causa dos distúrbios mais simples aos mais complexos.

A ação do Brainspotting              


E é a partir da identificação dessas memórias e sensações que começa a atuação do Brainspotting. Depois da etapa da identificação, se dá aplicação, que acontece no sistema nervoso límbico do Sistema Nervoso Central. Esta atuação é tão assertiva que existem diversos casos em que os resultados são bem ágeis e podem, inclusive, abranger problemas físicos.

Isso mesmo, a ação psicológica desta metodologia pode alcançar e proporcionar benefícios físicos. Calma, vamos te explicar direitinho: suponhamos que um paciente tenha problemas em dirigir, ele acredita que possa existir empecilhos que o atrapalha a praticar esta ação física considerada simples, mas, obviamente, algo desconhecido o impede.        

Aí entra o Brainspotting, a partir da prática deste método, o profissional vai identificar e tratar os possíveis problemas que geram essa barreira e, consequentemente, propor ações para que, enfim, este problema possa ter resoluções assertivas e ágeis. Assim, uma ação física antes impraticável, pode torna-se comum também para este cliente.

Outro exemplo claro que pode ser usado é o de um tratamento clínico físico que não gera o resultado esperado. Uma pessoa que passou por um procedimento operatório no braço, por exemplo, e mesmo com um trabalho intenso de fisioterapia não alcança os movimentos desejados, pode recorrer ao Brainspotting.   

O aspecto mental é tratado e, como no nosso primeiro caso, as possíveis disfunções psicológicas são avaliadas profundamente e tratadas de forma adequada. E, se o que impede a funcionalidade certa do braço for um problema relacionado a um bloqueio psicológico (o que costuma ser), depois que for devidamente tratado, as probabilidades de o resultado físico desejado ser alcançado são bem grandes.

Então, não se espante quando relacionarem este método psicológico e psiquiátrico aos benefícios físicos. Indiretamente, de certa forma, o Brainspotting pode proporcionar resultados incríveis até no aspecto físico dos pacientes. Este sucesso todo não é à toa. 😉

É muito interessante, não é? O Brainspotting não para de ganhar seguidores, sua prática cresce a cada dia, assim como seus resultados, que vêm alcançando mais assertividade em diversos casos.

Sou especialista na área há quase 2 décadas e ministro cursos sobre o Brainspotting em todo o Brasil. Quer conhecer mais sobre essa tendência? Fique ligado no nosso blog, vai ter sempre um conteúdo novo e bem legal por aqui. E, claro, não deixe de acompanhar o meu site: www.danielgabarra.com.br.